quinta-feira, 21 de julho de 2011

Alagoano que se passou por padre volta a aplicar golpes


image
Na internet há vídeos e até comunidades que denunciam
 a atuação do alagoano.

O alagoano Antonio Rogério Peixoto, de 36 anos, que foi preso em dezembro de 2008 na cidade do Crato, no Ceará, após se passar por padre e aplicar golpes, voltou a ser denunciado, desta vez na cidade de Caruaru, em Pernambuco.
Na cidade do agreste pernambucano, Antonio Rogério teria se passado por advogado da Procuradoria Geral da União, inclusive assumindo algumas causas, além de aliciar jovens menores de 18 anos, supostamente para um programa do governo federal. Os jovens, posteriormente, eram 'indicados' para trabalhar como modelos de franquias do Sul do país, mediante desfiles privativos.
A falsa profissão do alagoano foi descoberta por uma das vítimas, que teria encontrado comunidades em redes de relacionamentos e reportagens na mídia eletrônica relatando outras fraudes nas quais o alagoano é apontado como protagonista.
De acordo com denunciantes, o falso advogado teria lesado mais de dez pessoas físicas, além de uma lan house localizada na cidade de Caruaru, na qual o falso advogado sublocou quatro computadores até o início do 'funcionamento' do seu escritório de advocacia na cidade.
Ainda segundo as vítimas, para cada grupo de pessoas lesadas o falso advogado, que já foi padre, elaborava uma história. O acusado teria, inclusive, apresentado documentos falsos com inscrição pertencente a outro advogado na seccional alagoana da Ordem dos Advogados do Brasil.
Nesta terça-feira, 19, um grupo de cerca de dez pessoas teria comparecido à 1ª Delegacia de Polícia Civil, em Caruaru, para denunciar o estelionatário. Antonio Rogério compareceu à delegacia e prestou depoimento ao delegado titular e posteriormente foi liberado.
Em entrevista à reportagem do Alagoas24Horas, o delegado Thiago Uchôa disse que apenas em Pernambuco, Antonio Rogério responde a dois processos e que o acusado goza do benefício de liberdade provisória. “Estamos investigando e a prisão não está descartada”, explicou o delegado.
Antonio Rogério tem se mostrado ‘escorregadio’. As primeiras acusações datam de 2008, quando o alagoano aplicou golpes em Arapiraca e Crato (CE). Agora em Pernambuco, o falso advogado/padre é acusado de crimes em Garanhuns e Caruaru (PE).