terça-feira, 17 de maio de 2011

Suape não exigirá experiência

Suape - PE
Os profissionais capacitados para atuar no Complexo Industrial Portuário de Suape deverão ser beneficiados com a assinatura de um Protocolo de Intenções estabelecido entre o Governo do Estado e a Refinaria Abreu e Lima. A parceria busca qualificar e facilitar o ingresso destes trabalhadores às funções oferecidas em Suape, anulando a exigência de experiência profissional para aqueles que forem capacitados pelo Centro de Certificação e Pessoas, que deve ser implantado pelo Governo do Estado até o segundo semestre.

“Temos satisfação em assinar este protocolo porque a Petrobras sempre investiu em pessoas, tecnologia e desenvolvimento econômico. Estamos tentando trazer mais do que uma refinaria para o Estado”, ressaltou o presidente da Refinaria Abreu e Lima, Marcelino Guedes. Segundo o secretário de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, Antônio Carlos Maranhão de Aguiar, a implantação do Centro de Certificação foi idealizada dentro do Fórum Suape Global, mas a proposta deve ser ampliada para envolver os segmentos de comércio, serviços, hospitalidade, entre outros.
“Existe um Sistema Nacional de Certificação de Pessoas, gerido pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial). O Inmetro concede autoridade e credita instituições para fazer, em nome dele, certificações em níveis básicos e técnicos”, detalhou. Segundo Maranhão, a certificação funcionará como a comprovação de uma entidade de terceira parte, diferente da instituição capacitadora, garantindo que o curso de qualificação proporciona a capacitação necessária àquele profissional.

O Centro deverá reunir diversas instituições, como a Fundação Brasileira de Tecnologia e Soldagem, Associação Brasileira de Ensaios Não-Destrutivos e Inspeção, Associação Brasileira de Manutenção, entre outras. Cada instituição terá o seu espaço para realizar exames práticos e teóricos no espaço, que deverá ser administrado pelo Instituto Tecnológico de Pernambuco (Itep). Para sair do papel, a Secretaria deverá se reunir, no próximo mês, com as entidades qualificadoras. “Queremos viabilizar o início do funcionamento até o segundo semestre des­te ano. Para isso, estamos montando um projeto para apresentar ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) como parceiro financeiro desse projeto”, revelou Maranhão.
Fonte: Folha de Pernambuco(PE)