sexta-feira, 13 de maio de 2011

Financiamento imobiliário faz Caixa lucrar R$ 812 milhões no trimestre

A Caixa Econômica Federal registrou lucro líquido de R$ 812,4 milhões de janeiro a março, aumento de 4,5% em relação aos R$ 777,5 milhões contabilizados no primeiro trimestre do ano passado. Resultado impulsionado, principalmente, pelo bom desempenho das operações de crédito habitacional, que cresceram 50,5% na comparação trimestral.
De acordo com o balanço divulgado hoje (13) pela Caixa, foram concedidos R$ 46,3 bilhões em crédito no período, dos quais R$ 14,5 bilhões no financiamento de 119,7 mil moradias. Foram R$ 7,8 bilhões com recursos da poupança; R$ 5,2 bilhões com dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); R$ 1,2 bilhão em subsídios e R$ 189 milhões para consórcios e arrendamentos residenciais.
Os ativos administrados pela Caixa somaram R$ 893,8 bilhões no final de março, sendo R$ 431,4 bilhões de recursos próprios R$ 268,7 bilhões do FGTS e R$ 134,8 bilhões em fundos de investimento, com destaque para os recursos próprios, que aumentaram 18,6% em relação ao primeiro trimestre de 2010.
O balanço da Caixa ressalta também que o patrimônio líquido da instituição somou R$ 17,5 bilhões, evolução de 27,2%, que gerou retorno médio de 21,3%. O estoque de créditos, no valor de R$ 190,5 bilhões, gerou receita de R$ 6,2 bilhões no trimestre. As receitas com serviços totalizaram R$ 2,8 bilhões, com aumentos de 48,3% e de 15,1%, respectivamente, na base trimestral.
A Caixa informou, também, que a base de clientes cresceu 13,5% no período, atingindo 17 milhões de contas-correntes e 41 milhões de contas-poupança. Em decorrência dessa evolução, os depósitos encerraram o trimestre com saldo de R$ 227,7 bilhões (19,4% a mais que o saldo de 2010, de R$ 132,6 bilhões em cadernetas de poupança e R$ 95,1 bilhões em depósitos à vista e a prazo.
Outro bom desempenho foi o do patrimônio de referência, que atingiu R$ 34,3 bilhões, evolução de 14,3%, o que permite à Caixa manter a expansão na oferta de crédito. Esse crescimento possibilitou que o Índice de Basileia, no trimestre, ficasse em 15,2%, superior ao mínimo de 11% exigido pelo Banco Central. Quanto mais alto esse índice, maior a liquidez da instituição, o que sinaliza garantia para o investidor.
A instituição revelou ainda que as operações de crédito da Caixa cresceram 41,5% nos últimos 12 meses terminados em março, totalizando R$ 190,5 bilhões. Mais que o dobro do percentual de crescimento do mercado total de crédito, que foi de 20,7% no período em análise. De acordo com nota técnica da Caixa, “a expansão foi bastante influenciada” pelo crédito imobiliário, que é responsável, atualmente, por 61,5% das operações de crédito do banco estatal.
Da Agência Brasil