sábado, 28 de maio de 2011

Chegada de Frei Damião ao Brasil completa 80 anos

Há exatos 80 anos, Frei Damião de Bozzano embarcava no Porto de Gênova, na Itália, com destino ao Brasil. A viagem, iniciada no dia 28 de maio, terminaria três semanas depois em Pernambuco. Em 17 de junho de 1931, o capuchinho desceu do navio Conte Rosso no Porto do Recife. Era o começo de uma história que durou até 1997, ano do falecimento do missionário, e que fez do frade um dos maiores confessores da Igreja Católica. Para contar essa trajetória, o Diario de Pernambuco publica neste domingo (29) o caderno especial Terra de Damiões. O caderno integra o projeto do jornal em realizar grandes reportagens e exigiu cerca de dois meses de pesquisas, entrevista e viagens.

A exemplo do capuchinho, a equipe do Diario embarcou numa grande viagem. Frei Damião percorreu 7 mil quilômetros na travessia do Oceano Atlântico. O repórter Jailson da Paz, a fotógrafa Alcione Ferreira e o motorista Gilson Bezerra andaram 3.352 quilômetros em Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará . Nesses estados, a equipe ouviu devotos, promesseiros, pesquisadores e críticos do frade em 17 cidades do Sertão ao Litoral. 

O lugar escolhido para começar a viagem pelo mundo do missionário foi Canafístula, em Palmeira dos Índios (Alagoas). Lá encontramos Damião Silva de Lima, 35. O agricultor havia perdido a visão de um dos olhos. E começou a revirar a concepção da reportagem proposta. “Fomos ao interior com uma ideia e voltamos, na primeira semana de viagem, com outra para a reportagem”, relembra Jailson.

A ideia inicial do caderno seria recontar a trajetória do frade a partir do mapa traçado por frei Otávio de Terrinca, superior do missionário. O mapa trazia a quantidade de pregações, casamentos, comunhões e crismas. “Mas de tantos Damiões e Damiana encontrados percebemos a existência de algo especial naquelas histórias”, revela Alcione. Havia. Todos os Damiões e Damianas tinham recebido o nome de batismo por devoção dos pais ao sacerdote. E seus relatos mostravam não só histórias de fé, sofrimento e superação, mas que se ligavam a aspectos importantes da vida do capuchinho, como o sacerdócio, a comparação com Padre Cícero e o embate contra o protestantismo. Por esses caminhos o Terra de Damiões, com 16 páginas, contará a história de Frei Damião.
Programação - Os 14 anos da morte de Frei Damião são celebrados pelo Convento de São Félix de Cantalice, no bairro do Pina, até a próxima terça-feira (31). Nos dias de evento, os romeiros participam de diversas atividades, como missas, vigílias, bençãos e procissão. Segundo o frei Abelardo José de Oliveira, guardião do convento e organizador da festa, a expectativa é de que 70 mil pessoas durante os dias de homenagem. O ponto alto será neste domingo (29) com a missa solene, que será celebrada pelo Arcebisbo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido.
Fonte: Diário de Pernambuco